28.2 C
Brasil
domingo, setembro 19, 2021

A obesidade em seus dias derradeiros

Apesar da notória falibilidade de modelos terapêuticos para sobrepeso e obesidade que envolvam apenas mudanças comportamentais e dietas restritivas, durante muito tempo pareceu mais fácil condenar sumariamente os tratamentos clínicos ou cirúrgicos ao invés de procurar suas melhores versões. O discurso tem sido modificado ao tempo que os custos com as doenças resultantes do ganho ponderal condenam frequentemente gestões de saúde pública e privada à insolvência.

Gêneros alimentícios modificados (e modificantes), somados ao sedentarismo, parece ser a receita que encaminha a maior parte dos sete bilhões de seres humanos ao excesso de peso.

Muitos governos criam projetos de orientação alimentar desestimulando o consumo de comestíveis industrializados, compreendendo que a perda arrecadatória dessa comercialização será bastante recompensada pelo decréscimo de doenças crônicas, geradas ou não pelo ganho ponderal. Por outro lado, campanhas encorajando a prática de exercícios físicos são cada vez mais frequentes. Contudo, se a correção desses desvios nos protege do ganho de peso, não o trata.

Em um processo que guarda semelhança de lógica ao que vimos com a indústria do tabaco, vê-se inúmeras ações de serviços de saúde pública e privada buscando intervenções clínicas convincentes no tratamento do sobrepeso e obesidade. A indústria farmacêutica, evidentemente, não passa ao largo deste movimento e algumas empresas desempenham especial papel nesta procura.

Curiosamente, os fármacos mais promissores nesse objetivo são cópias quase exatas de uma substância produzida fisiologicamente pelas células da parede intestinal durante o processo absortivo dos nutrientes, o Glucagon-like peptide*-1 (GLP-1).

LEIA TAMBÉM

Por que você deve evitar o consumo de alimentos ultraprocessados

 

Continua após a publicidade

Com vida média de 2 a 3 minutos, o GLP-1 participa do mais importante eixo fisiológico na conclusão do consumo alimentar, enquanto possui ação crucial na fisiologia pancreática, estimulando a produção de insulina na dimensão que os níveis glicêmicos se apresentem, ao tempo que suprime a produção do glucagon, hormônio hiperglicemiante produzido neste órgão. Os bons níveis de GLP-1 protegem as células produtoras de insulina, assim como provavelmente restauram a função daquelas a caminho do exaurimento.

Análogos de GLP-1 estão sendo desenvolvidos há aproximadamente duas décadas pelas indústrias de medicamentos, inicialmente para o Diabetes tipo 2, mas não demoraria o reconhecimento de seu enorme potencial para o tratamento da obesidade e sobrepeso.

As pesquisas utilizando um análogo de GLP-1, a Semaglutida (Ozempic), lançado oficialmente no Brasil em 04 de maio de 2019 para o tratamento de Diabetes tipo 2, já prospectavam expectativas fabulosas no tratamento clínico para obesidade e sobrepeso, mas agora, é muito provável que estejamos às portas de uma realidade inimaginável em passado recente.

O STEP (Semaglutide Treatment Effect in People with obesity) – Efeitos do Tratamento com Semaglutida em Pacientes com Obesidade – é o estudo clínico tutelado pela farmacêutica detentora da patente, desenvolvido em cinco ramos, dos quais quatro deles tiveram a duração de 68 semanas, enquanto o mais longo ainda está em curso e contemplará 24 meses (pouco mais que104 semanas).

Idealizado para avaliar os efeitos da Semaglutida quanto a eficácia, segurança e tolerabilidade no tratamento de adultos com obesidade ou sobrepeso, o STEP obedece integralmente às determinações no cumprimento dos protocolos que credenciarão a Semaglutida a pleitear sua autorização de comércio. O medicamento já tem sua aprovação para o tratamento de Diabetes na prescrição de 1 mg por injeção subcutânea uma vez por semana, no que promove excepcional emagrecimento no paciente diabético, entretanto, na maior parte do STEP este fármaco é utilizado também a cada sete dias na dose de 2,4 mg.

Uma pesquisa clínica que pretenda avaliar a segurança da utilização de um pretenso fármaco no tratamento de determinada patologia percorre 3 fases até que obtenha, ou não, a permissão das autoridades sanitárias para ser comercializado. Uma quarta fase, conhecida como farmacovigilância, é mantida por tempo indeterminado na observação de efeitos não encontrados durante as fases pré-comercialização.

O STEP teve concluído a fase 3 em quatro de seus cinco ramos, aqueles com duração de 68 semanas, e os seus resultados foram apresentados no Congresso Europeu de Diabetes deste ano, promovido pela European Association for the Study of Diabetes (EASD) – Associação Europeia para o Estudo da Diabetes. Com uma média de emagrecimento de 16 %, enquanto 90 % diminuiu ao menos 5 % do peso inicial, a Semaglutida já é a droga estudada com os resultados mais extraordinários já encontrados no tratamento de sobrepeso e obesidade.

Embora tenhamos que aguardar algum tempo, nada sugere que haverá impedimento para que este medicamento encontre seu lugar em nossa farmacopeia, por outro lado, a Semaglutida não se estabelecerá como alternativa inequívoca para substituir as cirurgias bariátricas. Mas, ainda que não tenhamos resolvido as causas, aparentemente falta pouco para que a obesidade ganhe o destino das úlceras pépticas, trocando o bisturi (e o sofrimento) pelos medicamentos.

<span class="hidden">–</span>Ricardo Matsukawa/VEJA.com
Continua após a publicidade

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...