28.2 C
Brasil
domingo, setembro 19, 2021

Covid-19: letalidade da doença caiu quatro pontos percentuais desde maio

A taxa de letalidade no Brasil da Covid-19 nesta segunda-feira, 12, está em 2,9%, um número quatro pontos percentuais menor do que o aferido em 3 de maio, quando os indicadores apontavam para 6,9%. Trata-se de um patamar que passou por uma franca redução ao longo da pandemia. Em agosto, por exemplo, a taxa estava em 3,4%.

Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemiaVEJA/VEJA

De acordo com os dados disponibilizados na plataforma digital da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, a letalidade mundial está em 2,8%, ligeiramente inferior ao aferido no Brasil. Este cálculo é baseado na taxa de mortes em decorrência da doença sobre o número de diagnósticos confirmados, deste modo é possível ter uma ideia aproximada da gravidade da doença e da eficácia dos tratamentos disponíveis. No caso da Covid-19, a redução da letalidade também aponta para outro avanço ao longo da pandemia: o aumento do número de testes, que permitiu um maior monitoramento da infecção.

Em agosto, a Organização Mundial da Saúde estimou que a real letalidade do coronavírus globalmente seria inferior aos números conhecidos, algo em torno de 0,6%. O número, no entanto, é alto se comparado com o que foi aferido durante a pandemia de H1N1 em 2009, quando a taxa de doentes que vinham a óbito era de 0,01%.

Atualmente, o Brasil tem 5.103.408 casos e 150.689 mortos registrados pela doença, de acordo com o Ministério da Saúde. Nesta segunda-feira, 12, a média móvel de novas notificações da doença foi de 25.167,6 e a de novos óbitos de 573,4. A média móvel semanal é calculada a partir da soma do número de casos e mortes nos últimos sete dias, dividida por sete – o que permite uma melhor avaliação ao encontrar um número comum de registros ao longo do período avaliado.

!function(e,t,s,i){var n=’InfogramEmbeds’,o=e.getElementsByTagName(‘script’),d=o[0],r=/^http:/.test(e.location)?’http:’:’https:’;if(/^/{2}/.test(i)&&(i=r+i),window[n]&&window[n].initialized)window[n].process&&window[n].process();else if(!e.getElementById(s)){var a=e.createElement(‘script’);a.async=1,a.id=s,a.src=i,d.parentNode.insertBefore(a,d)}}(document,0,’infogram-async’,’//e.infogr.am/js/dist/embed-loader-min.js’);

Continua após a publicidade

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...