26.8 C
Brasil
sexta-feira, setembro 17, 2021

Covid-19: média móvel de mortes cai em 12 estados e fica estável em 14

A média móvel de mortes pela Covid-19 por 100.000 habitantes caiu em doze estados e apresentou estabilidade em outros 14, na comparação com a situação de duas semanas atrás, segundo levantamento feito por VEJA utilizando os dados oficiais divulgados sobre a doença. A taxa – calculada com base em bloco de sete dias – aumentou apenas no Rio de Janeiro.

As taxas móveis de mortes por 100.000 moradores recuaram no Distrito Federal e em estados que já foram grandes epicentros da doença, como Amazonas e Ceará. Também caíram em Alagoas, Paraíba, Sergipe, Santa Catarina, Mato Grosso, Tocantins, Roraima, Acre e Espírito Santo. O maior recuo ocorreu no Amazonas (72,2%).

Em outros doze estados, a média registrou estabilidade no período, entre eles os mais populosos da federação: São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul. Também ficaram estáveis Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Amapá, Pernambuco e Rondônia.

O levantamento considera que houve aumento ou queda somente quando o percentual de variação for superior a 15%, segundo o critério adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – abaixo disso, o cenário é classificado como estável, mesmo que haja queda nos casos.

Considerando as médias móveis atuais, as maiores taxas de mortes por 100.000 habitantes foram registradas no Distrito Federal (0,85), Goiás (0,75) e Mato Grosso (0,63). Já as menores estão em Roraima (0,09), Rio Grande do Norte (0,13) e Maranhão (0,15).

Casos

Em relação ao número de casos, a situação é parecida. Há queda em treze estados, incluindo São Paulo, que desde o começo da pandemia lidera em número de infectados e de mortes. Também registraram retração no período Bahia, Ceará, Distrito Federal e Pernambuco, todas localidades que já viveram períodos intensos de propagação da doença. Houve redução da média móvel ainda em Amapá, Maranhão, Tocantins, Rondônia, Piauí, Sergipe, Pará e Santa Catarina – neste estado, foi registrado o maior recuo (79,2%).

Em outros doze estados, a situação ficou estável: Acre, Alagoas, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima e Sergipe. Em apenas dois, houve aumento da média móvel: Rio de Janeiro e Goiás.

Considerando as médias móveis por 100.000 habitantes, as maiores taxas foram registradas em Goiás (40,5), Roraima (36,4) e Tocantins (34,4). As menores são as dos estados de Pernambuco (7), Sergipe (7,3) e Rio Grande do Norte (7,3).

Continua após a publicidade

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...