31.7 C
Brasil
segunda-feira, abril 12, 2021

Papa Francisco cita música de Vinicius de Moraes em nova encíclica

Com o título de Fratelli tutti (Todos irmãos, em italiano), o Papa Francisco divulgou neste domingo, 4, uma nova encíclica em que denuncia as desigualdades e o “vírus do individualismo”. O documento, considerado grau máximo das cartas pontifícias e de âmbito universal, pede ainda o fim do “dogma liberal” e defende a fraternidade “com atos e não apenas com palavras”. No sexto capítulo do texto, de 84 páginas, o destaque é uma menção ao poeta e compositor brasileiro Vinicius de Moraes (1913-1980). Dedicado ao “diálogo” e à “amizade social”, o trecho traz uma passagem da letra da música Samba da Bênção: “A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida”.

Logo após a citação à canção, Jorge Bergoglio, nome de batismo do pontífice argentino, escreve que várias vezes já convidou a fazer crescer “uma cultura do encontro que supere as dialéticas que colocam um contra o outro”. O papa ainda reforça que devemos incentivar essa cultura do encontro, em que todos possam aprender algo e na qual ninguém é inútil. “Isto implica incluir as periferias. Quem vive nelas tem outro ponto de vista, vê aspectos da realidade que não se descobrem a partir dos centros de poder onde se tomam as decisões mais determinantes”, escreveu.

Esta é a terceira encíclica do papa Francisco. Nela, o principal nome da Igreja Católica retoma aos temas sociais que serviram de bandeira em seus sete anos e meio de pontificado, como a necessidade do diálogo, e faz reflexões sobre o mundo atingido pela pandemia da Covid-19. “Vimos o que aconteceu com as pessoas mais velhas em alguns lugares do mundo por causa do coronavírus. Não tinham que morrer assim (…) cruelmente descartados”, lamentou. No documento, ainda faz críticas ao nacionalismo, ao populismo, ao individualismo e à “cultura dos muros” e defende o direito às migrações e cobra uma reforma das Organização das Nações Unidas e do sistema financeiro mundial.

A encíclica, que deve servir como um guia espiritual para os católicos diante dos problemas atuais enfrentados pela humanidade, foi divulgada hoje, Dia de São Francisco de Assis, e assinada ontem durante uma missa na cripta onde está o túmulo do padroeiro dos animais e do meio ambiente. Pela primeira vez o documento foi assinado fora dos limites do Vaticano e também marcou a primeira saída de Roma por Francisco, durante a pandemia.

 

 

Continua após a publicidade

Ultimas Notícias

Tiroteio em frente a hospital de Paris deixa ao menos um morto e um ferido

Em frente ao hospital privado Henry Dunant, em Paris, na França, um homem foi morto e uma agente de segurança ficou gravemente ferida nesta...

Morte de homem negro pela polícia desperta novos protestos em Minneapolis

O assassinato de um jovem durante uma blitz policial em Minneapolis, nos Estados Unidos, provocou indignação em todo o país e despertou novos protestos...

Irã classifica apagão em usina nuclear de Natanz como “ato terrorista”

A usina atômica de Natanz, no Irã, sofreu um blecaute na manhã deste domingo. As autoridades iranianas classificaram o incidente como um ato de...

Igreja Católica da Austrália paga indenização milionária a vítima de abuso

Um homem de 58 anos cuja identidade não foi revelada vai receber uma indenização de 1,5 milhão de dólares australianos (cerca de 6,5 milhões...

Peru vai às urnas com 18 candidatos à Presidência – e nenhum é favorito

Nas eleições peruanas de 2011, o romancista peruano Mario Vargas Llosa, ganhador do Prêmio Nobel, disse que a população precisaria escolher entre a “Aids...