26.8 C
Brasil
sexta-feira, setembro 17, 2021

Novo filme da Disney, ‘Mulan’ é alvo de pedidos de boicote na Ásia

Um dos primeiros filmes a serem lançados após o fechamento, e subsequente reabertura parcial, de cinemas em 2020 devido à pandemia de Covid-19, a versão live-action de Mulan, novo longa da Disney, está sofrendo pedidos de boicote por ativistas pró-democracia ao redor da Ásia na semana de sua chegada às salas.

A polêmica gira em torno do apoio da atriz Liu Yifei, que interpreta a personagem principal do filme, à polícia de Hong Kong durante os protestos contra a controversa lei de extradição em 2019.

“Eu apoio a polícia de Hong Kong. Podem me atacar agora”, disse Yifei, que também é cidadã americana, na rede social Weibo.

A lei entrou em vigor quase um ano após o início das grandes manifestações pró-democracia na ex-colônia britânica contra a influência do governo central. O texto permite reprimir quatro tipos de crimes: atividades subversivas, secessão, terrorismo e conluio com forças estrangeiras, com sentenças que podem chegar à prisão perpétua.

Também acaba com a barreira legal que existia entre o Judiciário da cidade e os tribunais controlados pelo continente. A China continental pode assumir diretamente os casos em três situações: casos complexos de interferência estrangeira, ações consideradas “muito graves” e se existem “ameaças graves e reais” contra a segurança nacional. Outro dispositivo prevê a jurisdição universal para os crimes de segurança cometidos em outros países.

Ativistas pró-democracia na Tailândia e em Hong Kong aproveitaram a data e pediram pelo boicote ao longa.

Joshua Wong, principal ativista pró-democracia de Hong Kong, pediu o boicote ao filme usando as redes sociais. Wong acusa Yifei de ser “um ícone do autoritarismo traindo de bom grado os valores que Hollywood dá à personagem”. Na história do filme, Mulan é uma heroína que defende a China contra uma força invasora.

O ativista tailandês Netiwit Chotiphatphaisal também vem usando suas redes sociais para pedir o boicote ao filme.

“A Disney e o governo chinês sabem que a violência do Estado contra as pessoas é inaceitável”, escreveu.

Na Tailândia, manifestantes tomaram as ruas para protestar por reformas democráticas e contra “aquele que não deve ser nomeado”, em alusão ao monarca, que governa o país com apoio do Exército e mantém um Parlamento fantoche após um golpe militar em 2014. As manifestações ficarem conhecidas pela referência ao vilão dos livros da saga do bruxo Harry Potter, uma vez que é crime no país contrariar o rei.

O filme foi lançado nesta sexta-feira, 4, na plataforma de streaming da Disney nos Estados Unidos e em cinemas selecionados.

Continua após a publicidade

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...