28.2 C
Brasil
domingo, setembro 19, 2021

Análise: Avanço da ‘prévia do PIB’ consolida a retomada da economia no 3º trimestre

O avanço de 1,06% do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) em agosto indica a consolidação da retomada econômica no terceiro trimestre do ano, e aponta para a recuperação do Produto Interno Bruto (PIB) após queda histórica registrada nos três meses encerrados em junho. Os dados divulgados pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira, 15, mostram o quarto avanço consecutivo da retomada, e também reconhecem os esforços do governo federal ao lançar pacotes para mitigar os impactos da pandemia do novo coronavírus na economia, como o auxílio emergencial e o programa que permite a redução ou suspensão da jornada de trabalho e salário. Porém, a despeito do momento otimista, a reação lenta do setor de serviços e a alta da taxa de desemprego ainda farão o país fechar o ano com forte queda do PIB, e criam um cenário desafiador para a continuidade da retomada em 2021 após a extinção dos auxílios patrocinados pela União.

A alta da prévia do PIB em agosto está abaixo do projetado pela Cláritas Investimentos, mas ainda sinaliza para a reversão das quedas históricas registradas nos primeiros meses de pandemia. Para Marcela Rocha, economista-chefe da instituição, a soma do avanço de 1,06% com a alta de 3,7% revisada pelo BC para o mês de julho já indica o empuxo da economia no trimestre encerrado em setembro. “A recessão [para 2020] já está contratada, mas mais importante que o tamanho do tombo, é entender a velocidade da recuperação. Para o terceiro trimestre, é esperado um crescimento de 8% do PIB. Não anula a projeção de queda para o ano, mas indica que a economia está se recuperando com todos os estímulos fiscais, o corte da taxa de juros, a flexibilização do isolamento e as quedas dos índices de casos e óbitos [do novo coronavírus]”, afirma.

A análise é semelhante a de Lisandra Barbero, economista da XP Investimentos. Nesta quinta, a instituição revisou para 7,8% a expectativa para o PIB dos três meses encerrados em setembro. A mudança para o número mais otimista é baseada na recuperação acima das expectativas dos setores da indústria e comércio, além da manutenção dos postos de trabalho em meio à pandemia. Apesar da terceira alta consecutiva do setor de serviços, com avanço de 2,9% em agosto, segundo dados do IBGE, a disparidade dos índices em comparação ao período pré-pandemia trava a expectativa de melhora mais acentuada para a economia nacional. “A interpretação geral do ritmo de atividade econômica está em linha do visto nos últimos meses. O setor de serviços ainda está frágil, contribuindo como o principal peso ao ritmo de recuperação, enquanto indústria e varejo estão em velocidade acelerada, principalmente com os estímulos do governo federal”, diz a economista.

O tom de otimismo ao curto prazo não se estende para o próximo ano. Com a economia ainda combalida pelos impactos da Covid-19 e o fim dos auxílios do governo federal, a expectativa é de uma retração no ritmo de recuperação a partir de 2021. “Não se pode esquecer da situação financeira das famílias e empresas, do legado da pandemia. Apesar de comemorar avanço do PIB no 3º trimestre, a economia ainda encerrará este ano em contração, desemprego alto e muitas empresas com situação financeira frágil”, afirma Marcela, que projeta queda de 5% no PIB este ano e recuperação de 2,5% em 2021. Para Lisandra, da XP, o cenário pós-pandemia é agravado pelo ritmo de crescimento lento que o país já demonstrava antes do surto do novo coronavírus. A expectativa da instituição é encerrar o ano com queda de 4,6%, ante recuperação de 3,4% em 2021.  “Para o ano que vem, entendemos que a economia continuará bastante fragilizada. Antes da pandemia a recuperação já vinha em passos graduais, e apresentava certas dificuldades na indústria e recuperação do mercado de trabalho. No cenário pós-pandemia, essas dificuldades devem ser acentuadas pelos resultados da crise.”

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...