26.8 C
Brasil
sexta-feira, setembro 17, 2021

Medo de perder o emprego recua para o mesmo nível do fim de 2019

O receio do brasileiro de perder o emprego recuou ao mesmo nível registrado no fim de 2019. Segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada nesta quarta-feira, 14, o indicador que mede o medo do desemprego chegou a 55 pontos em setembro, 1,1 ponto a menos na comparação com dezembro do ano passado, e recuo de 3,1 pontos nos últimos 12 meses. A pesquisa trimestral não foi realizada em abril e junho deste ano por conta das medidas de isolamento social impostas pelo novo coronavírus. “Apesar dos graves impactos da pandemia de Covid-19 sobre a economia brasileira, a partir do final do primeiro trimestre de 2020, as medidas de proteção do emprego adotadas no período contribuíram para conter o desemprego e aumentar a segurança no emprego”, cita o levantamento. Nesta terça-feira, 13, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) prorrogou por dois meses o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm), que permite a renegociação de contratos e corte de jornada e salário. O pagamento do auxílio emergencial e a retomada gradual das atividades econômicas também contribuíram para o recuo do índice, indica a pesquisa.

taxa de desemprego no Brasil subiu para 13,8% no trimestre encerrado em julho, a mais alta da série histórica iniciada em 2012, e atinge 13,1 milhões de pessoas, apontou dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados em setembro. Segundo o levantamento da CNI, as mulheres têm mais medo do desemprego que os homens, com índice de 62,4 pontos e 46,8, respectivamente. As pessoas mais jovens também possuem mais receio de ficarem sem emprego. Para a faixa etária entre 16 e 24 anos, o indicador é de 57,9 pontos, enquanto para a população com mais de 55 anos é de 48,9 pontos. Quem recebe um salário mínimo também tem mais receio, com 65 pontos, enquanto a população com renda familiar acima de cinco salários mínimos registrou 42,2 pontos. Entre as regiões, o medo é maior no Nordeste, com 61,2 pontos, enquanto nos estados do Sul o temor é o menos expressivo, com 43 pontos. O levantamento também aponta que pessoas que estudaram até a 4ª série do ensino fundamental possuem mais receio, com 59,2 pontos, enquanto quem possui o ensino superior registrou 50,1 pontos. A despeito da redução como um todo, o medo de ficar sem trabalho aumentou entre dezembro de 2019 e setembro deste ano para as pessoas com faixa etária entre 25 e 54 anos, com ensino superior, e os que possuem renda familiar acima de cinco salários mínimos.

A mesma pesquisa revelou que a satisfação com a vida teve um leve crescimento em setembro, de 68,5, ante 68,3 em dezembro de 2019. O índice, porém, é menor do que os 69 pontos registrados há 12 meses. O índice teve recuo maior entre as mulheres, na faixa dos 24 aos 35 anos, com instrução até a 4ª série do ensino fundamental e que recebem de um a dois salários mínimos. O levantamento da CNI foi feito entre os dias 17 a 20 de setembro, e realizou duas mil entrevistas em 127 municípios.

- Advertisement -

Ultimas Notícias

Saiba como atua um urologista

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o profissional especializado em urologia é o responsável por cuidar...

As doenças que afetam o sistema reprodutor masculino – saiba quais são

De acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, o pênis e o sistema reprodutor masculino são extremamente suscetíveis...

Atente-se a sua saúde: Doenças comuns no sistema reprodutor masculino

Muitos homens, de acordo com o médico urologista Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, costumam deixar a saúde de lado, o que...

‘Esse endividamento é monstruoso’, diz Bolsonaro sobre prorrogação do auxílio

O presidente Jair Bolsonaro justificou nesta segunda-feira, 19, a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, a impossibilidade do auxílio emergencial ser prolongado em...

Protesto violento marca primeiro ano de revolta social no Chile

Milhares de manifestantes se reuniram no domingo 18 nos entornos da Praça Itália, no centro de Santiago, para comemorar o primeiro aniversário dos grandes...